Junho é mês de

by - 22:13


No Brasil usa-se trajes caipiras e come-se pamonha e canjica. Em Portugal assiste-se às marchas lisboetas, mete-se alho porro na cara de quem passa e come-se sardinha na brasa. Dançando a quadrilha ou de martelinho na mão, o que interessa é festejar


Junho é mês de sair à rua, de aproveitar as noites mais quentes nos arraiais, de saltar fogueiras, de comer caldo-verde e sardinhas - no pão ou com salada de pimentos, mmmmmm.





As ruas, iluminadas, estão enfeitadas com fitas e arcos e cheiram a manjericos. A festa arranca em Lisboa, com o Santo António e pregões no ar. O padroeiro da capital é motivo para várias noites de folia, em especial de 12 para 13 de Junho, quando as marchas garridas descem à rua.

Os bairros mais tradicionais – de Alfama à Mouraria, do Castelo à Madragoa, passando por Marvila e pela Graça – trabalharam vários meses para este desfile, que alegra a Avenida da Liberdade numa aventura de música e cor.


Copyright - Luís Peixoto




As marchas populares de Lisboa nasceram nos anos 30, foram imortalizadas na tela por Vasco Santana e Beatriz Costa em “A Canção de Lisboa”, e ganham cada ano mais adeptos.

E porque o santo é também casamenteiro, a tradição lisboeta inclui os famosos Casamentos de Santo António, uma mega-boda colectiva patrocinada pela cidade. Outros, menos afortunados no amor, lançam uns versos a modos de prece: Santo António, Santo António / Ó meu Santo milagreiro /Arranja uma moça bonita / Para um rapaz solteiro (vi-os num manjerico e achei piada).




Copyright - C.M. Lisboa


Uns dias depois é a vez de festejar o S. João, especialmente no Porto e em Braga, com balões de ar quente, os martelinhos a apitarem na cabeça uns dos outros, as fogueiras, os petiscos e o fogo-de-artifício a iluminar a noite de 23 para 24 de junho.

Não importa a sua origem pagã, ligada à celebração do solstício de verão, muitos esquecem até a sua dimensão religiosa. Os festejos de Braga mantêm ainda algumas tradições engraçadas como os gigantones/cabeçudos e o cortejo do Rei Davi.



Copyright - Sapo Notícias





A caipirice das Festas Juninas

Do outro lado do Atlântico, no Brasil, junho é igualmente sinónimo de festa. As Festas Juninas, porque se celebram neste mês ou porque já foram Joaninas, têm quermesse e arraiais, têm música (vejam a quadrilha no vídeo) brincadeiras e petiscos, claro! Onde já se viu festa sem petiscos?







Mas estes são ligeiramente diferentes do que comemos em Portugal. Sendo a época da colheita do milho, grande parte dos bolos, doces e salgados relacionados com as festividades são feitos desse cereal: pamonha (muitas vezes embrulhada na folha de milho), milho cozido, canjica, cuscuz, pipocas, bolo de milho.

O “cardápio” inclui ainda arroz doce, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão (bebida feita com gengibre, cachaça e canela), vinho quente, batata-doce assada na fogueira…



Olha a pamonha, a canjica e o pé-de-moleque


Mas a graça das Festas Juninas está realmente nas indumentárias que se usa e na encenação do casamento caipira (lá está o Santo António a fazer das suas), com traje e pronúncia a condizer, como demonstra o excerto abaixo:

“Veja o que esse desgraçadu
Fez cumigu há norve mês...
Levou-me para o matu
Lá me enfiou o cajado
Prometendu u casarmentu...

O pai:
Vô matá esse caboclo abusadu
Cortar seu cajado
Exemplu prá outras gentes...”



Copyright - griloo.com.brOs protagonistas de um casamento caipira,
também conhecido como casamento matuto ou da roça.




















Porque há encalhados em todo o mundo e porque o Santo António entende todas as línguas e sotaques, há sempre quem se lembre nesta época das “simpatias” para arranjar namorado(a). Já devem conhecer aquela em que se põe o santo de pernas para o ar, por isso aí vai outra, igualmente original.

“Pegue na imagem do Santo António, e fale com ele. Diga-lhe que enquanto ele não lhe arranjar um namorado ficará no frigorífico, se demorar que irá para o congelador. Retire-o de lá quando o seu amor lhe bater à porta”.








You May Also Like

14 comentários

  1. Seu blog é muito interessante e instrutivo.
    Tenho uma editora (além de ser escritora)e estou lançando uma antologia de textos seletos Brasil/Portugal.
    Se quiser saber mais,mando o link.
    Abração

    ResponderEliminar
  2. olá, aqui na minha cidade, comemoramos com as pessoas saindo vestidas de forma engraçada, como 'caipiras' pelas ruas... passam o dia todo assim...e à noitinha temos a festa, com os comes e bebes tradicionais...fiz uma postagem com fotos dá uma olhada lá http://tititidadri.blogspot.com.br/2012/06/estilo-arraia-do-comercio-em-estrela.html
    bjs
    tititi da dri

    ResponderEliminar
  3. Olá Miriam, seja bem vinda ao meu "cantinho". Agradeço o elogio e vamos conversando por email, ok? Abraço

    Dri, já fui espreitar as fotos, ficaram demais.
    Eu morei no Brasil quase todo o 2011 e as festas juninas surpreenderam-me realmente. Não fazia ideia dessa tradição. A Festa Junina na escolinha do meu filho foi linda, linda, super divertida e toda a gente entra no espírito mesmo, não só pelos trajes mas pelo sotaque caipira que faz questão de usar nesse dia.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. adorei saber como são as festividades ai em Portugal! muita coisa eu nem sabia!!
    bjs
    tititi da dri

    ResponderEliminar
  5. OLA AMIGA OBRIGADO PELA VISITA, ADOREI SEU BLOG, CHEIO DE NOVIDADES, MUITO INTERESSANTE, BJS DEYA

    ResponderEliminar
  6. O que eu adoro nesse blog é essa troca de informação. É como a minha cabeça pensa o tempo todo, estou em POrtugal mas lembro sempre das coisas do Brasil. O meu coração está dividido ao meio :)

    Beijoss

    www.isared.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  7. Deya e Isa, muito obrigada pelos comentários e pelo incentivo.
    Isa, como a compreendo. Morei menos de um ano no Brasil mas foi tempo suficiente para me apaixonar pelo país... mas coração grande é assim mesmo, cabe muita coisa (e gente) lá dentro.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Massa, tudo!
    Eu particularmente sou apaixonada por Portugal.
    Sou brasileira, quase não como pamonha e não curto de festa junina.
    Ah, também não odeio os os argentinos...rsrsrs
    Espreitei e estou te seguindo.
    Beijão.

    ResponderEliminar
  9. Adoooro tanto que nasci nesse mês,obrigada pelas informações.;)

    ResponderEliminar
  10. Que delicia de post! Adoro tudo, sardinhas, canjica, milho, gosto também do pinhão que é muito comum nesta época. E as danças são realmente uma grande animação. Aqui no Brasil tem a Festa de Parintins, também muito famosa nesta época do ano. Adorei a matéria! Beijos.

    ResponderEliminar
  11. Lindas tradições :)
    Obrigada por nos fazer viajar... e sonhar!

    ResponderEliminar
  12. As festas juninas do Brasil, conheço desde pequenina...Estive em Portugal nos anos 70 e estava no dia de Santo Antônio em Lisboa , e dia de São João no Porto...adorei tudo !
    Beijos, Ruthia, aproveite bem, as festas!

    ResponderEliminar
  13. Que post divertido, Ruthia! Adorei! :)
    A festa junina é minha segunda festa preferida no ano (só perde pro Carnaval! rs). Amo tudo que envolve as festividades caipiras e também as tradições de matriz africana dessa época (o jongo é mto dançado em junho, nas comunidades quilombolas), assim como as danças populares do norte do país, com bastante influência indígena (o bumba-meu-boi no Maranhão e o boi-bumbá de Parintins, que são festas lindíssimas). Mas lendo seu post, fiquei com ainda mais vontade de estar em Portugal durante os festejos juninos!
    Beijinhos

    ResponderEliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!