Madeira 1 | A jóia do Atlântico

by - 12:32





O que é que Winston Churchill, a austríaca Sissi, o bola de ouro Cristiano Ronaldo e o aventureiro Cristovão Colombo têm em comum? A paixão pela Madeira, claro.

A bela imperatriz austríaca escondeu-se ali do mundo durante meio ano, para recuperar da morte da filha e da indiferença do marido, sob o pretexto da sua débil saúde (ok, ok, a senhora sofria de tuberculose). Voltou à Madeira novamente, adorava ver os barcos zarparem desde o Funchal e visitar a pequena igreja dos Milagres, em Machico. 

Cristovão Colombo encontrou aqui o amor da sua vida e terá usufruído da rica biblioteca do sogro Bartolomeu Perestrelo, capitão da ilha de Porto Santo, repleta de mapas e textos sobre a arte de marear.



Câmara de Lobos, que inspirou Winston Churchill (em cima).  A austríaca Sissi junto ao Casino Park Hotel. Aqui ficava, outrora, a quinta onde a imperatriz passava férias (baixo, dir.).


O primeiro-ministro britânico chegou de navio por volta de 1950, para recuperar de uma gripe, passeou-se num belo Rolls Royce emprestado, montou o seu cavalete em Câmara de Lobos e ali ficou vários dias, simplesmente a pintar a paisagem animada por grandes leões marinhos, de charuto na boca: hoje os portentosos animais refugiaram-se nas ilhas desertas, longe da azáfama humana...

Como toda a gente sabe, o atleta do Real Madrid nasceu aqui e, apesar do seu estatuto de estrela intergaláctica, não renega as suas raízes insulares, como prova o recente Museu CR7, que inaugurou com toda a família e onde depositou centenas de prémios e troféus, incluindo as duas bolas e duas botas de ouro.

Também eu me rendi à pérola do Atlântico nesta primeira visita, ainda que uma ligeira tristeza me invadisse perante o grau de urbanização que encontrei.






Bem sei que é arrogância esperar que uma ilha tão bela, tão largamente promovida junto dos turistas, permanecesse intocada desde que Zarco, Vaz Teixeira e Perestrelo a descobriram, em 1419 ou 1420. Mas a verdade é que não a esperava tão moderna, tão amplamente rasgada por túneis e vias rápidas, com a frente marítima em permanente (re)construção, o trânsito intenso e o aeroporto roubado ao mar.

Só quando saímos do Funchal descobrimos a verdadeira beleza insular, as paisagens maravilhosas e os contrastes, as casinhas típicas, que parecem feitas para bonecas, e a floresta de laurissilva classificada pela Unesco. Ah, como me consola saber que este cantinho que resta de floresta endémica está protegido, sendo proibido arrancar uma simples folha de loureiro...



Funchal de funcho

Antes de me aventurar pelas estradas sinuosas, exploremos o Funchal, encastrado num grande anfiteatro natural de frente para o Atlântico, numa costa soalheira com imensas bananeiras, mas já sem o funcho que lhe deu o nome.

Com a sua Sé austera, as esplanadas que se multiplicam, o Jardim Municipal, os táxis amarelos e azuis, inspirados nas cores da bandeira, a cidade não deixa de ser charmosa e florida.


O Pedrinho impressionado com os estranhos instrumentos, num
espectáculo de rua em frente à Sé.

A estátua de Zarco, junto ao Banco de Portugal. Duas flores promovem uma feira de rua.


O meu pequeno explorador ficou preso a  um espectáculo de rua (despejando os trocos do meu porta-moedas), conheceu a antiga águia do Benfica, fez como habitualmente muitas perguntas e pediu gelado, feliz por deixar o continente chuvoso para trás.

Eu tomei um aromático chá, soberbamente acompanhado por um scone com doce de maracujá, e palmilhei, palmilhei, palmilhei enquanto o Pedrinho conseguiu acompanhar-me. As deambulações levaram-nos para longe do centro, onde a estátua de Zarco olha de cima os turistas e ilhéus.  

Como as obras interrompem o passeio do Lido, rumamos ao Parque de Santa Catarina, parando uns minutos a olhar o porto do Funchal onde diariamente chegam os cruzeiros gigantes. 






O nosso destino é o museu do CR7, após muita insistência do Pedrinho, que está numa idade em que respira futebol. Mas ainda demoramos a chegar lá, porque ele encontra parceiros de bola neste belo e cheiroso jardim! 

Ah, como as crianças são descomplicadas - uma bola basta, não é preciso nomes ou qualquer outra informação para brincarem juntos... Parece que o jogo vai demorar pelo que vos deixo,  prometendo mais posts sobre esta ilha encantadora.



::::::::::::::::::::::::::::::::
Museu CR7:  5€ (adulto), gratuito para as crianças. Comprei ali uma bola, vazia para mais facilmente a transportar no avião, e chegando a casa foi o drama total - a bola está furada.

You May Also Like

31 comentários

  1. Olá, acabo de visitar seu blog e segui-lo. Lhe desejo foco, sucesso e força. Que conquiste muitas realizações através do mesmo. E também convido você e seus/suas leitores/leitoras a conhecer o meu blog: toobege.blogspot.com.br . Beijinhos e espero você lá também *0*

    ResponderEliminar
  2. Que lindo ver tudo isso, ler, saber mais, aprender, ver fotos lindas e ainda rever o pequeno explorador que olha tudo atentamente, mas sabe que brincar é bom e não perde tempo...Adorei! bjs,chica

    ResponderEliminar
  3. Gostava de conhecer a Madeira, muita gente que já visitou me falou maravilhas dessa terra!

    Bjxxx

    ResponderEliminar
  4. Cada dia tem o seu segredo: delicioso, mágico.
    é isso que nos estimula a sonhar
    e a depositar nossas esperanças no amanhã,
    sabendo que, o hoje é uma fonte .
    Acredite no Tempo, na Amizade,
    na Sabedoria, e principalmente no Amor.
    Que Deus abençoe seu Domingo.
    Beijos no coração afagos na alma.
    Evanir.

    ResponderEliminar
  5. Ilha encantadora, sim. Sempre desejei conhecer não só a Madeira mas todo o Arquipélago dos Açores.Meu bisavô paterno era de São Miguel. Da Madeira, aprecio muito as rendas de bilro, cuja arte herdamos por cá...Gostei de ver o Pedrinho explorando a ilha com a mamãe...Compartilho com você a empolgação pela beleza da ilha mas também a "ligeira tristeza" pelo acelerado modernismo que destrói muito do passado. Hoje minha cidade, Fortaleza, completa 288 anos e já não tem muito do que vi na minha infância. Voltarei, para admirar mais Madeira...
    Bom domingo, Ruthia.
    Beijo,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  6. Ruthia,
    Que lindo! Não conheço a Madeira e já tive vontade de visitar, mas através desta publicação a vontade ainda aumenta!
    É sobretudo a natureza que me atrai e a especial e rara flora que dizem encantar cada visitante.
    Fico impaciente de descobrir mais desta linda ilha.
    Abraços!

    PS: Deixei-lhe um presente aqui: http://crazy40blog.wordpress.com/premios-e-presentes-de-amigos/

    ResponderEliminar
  7. Querida amiga,

    Conheci as primeiras historias vindas deste lugar maravilhoso por causa dos filmes sobre a imperatriz. Cada ano que se passava, um amigo ou parente, em visita à Portugal, sempre trazia fotos e palavras encantadoras. Depois, porque passei a ter novos amigos, especialmente blogueiros, estes sim, apresentaram, atraves da experiencia de vida, todos os motivos para visitar este pedaço de paraíso.

    Obrigada por compartilhar mais um otimo momento de sua vida.
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Querida Ruthia
    Comovi-me, ao ler a sua publicação.
    Há anos que não vou à Madeira, mas foi como se a revisitasse! À excepção do Museu CR7,que ainda não existia da última vez que lá fui! Gostei de ver as fotografias! Obrigada.
    O Pedrinho foi muito feliz por aí! Que bom!
    Fico à espera da segunda parte.
    Uma excelente semana.
    Beijinho
    Beatriz

    ResponderEliminar
  9. Que beleza de texto,Ruthia! Gostei de saber tantas curiosidades e com tão bom humor! Fotos belíssimas,parabéns! bjs,

    ResponderEliminar
  10. Ol, Ruthia! E que venha então o próximo post! Ansiosa por conhecer mais! :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Não se pode conter o progresso mas lamentamos, realmente, que ele chegue a lugares especiais, destruindo as características de simplicidade e a calmaria. As fotos estão belas e vejo que seu filho se divertiu. Crianças adoram uma bola. Madeira deve ser encantadora. Bjs.

    ResponderEliminar
  12. Conhecendo o mundo atrás do Berço do Mundo! Que chique!
    Ruthia, que sua semana seja maravilhosa!
    É bom vir aqui e ler seus textos que são sempre primorosos e descobrir onde Cristiano Ronaldo nasceu...

    Beijos,querida!

    ResponderEliminar
  13. Uma ilha que gostaria de conhecer.... mas vou-me contentando com descrições assim como esta :)

    Beijinhos.

    E Boa Páscoa!

    ResponderEliminar
  14. que lindo tudo isso... pena pela bola furada, mas será que não tem como arrumar?
    eta idade boa a do pedro, que adora correr atrás de uma bola, sei bem como é, pois até hoje o meu Ali não deixa passar qualquer bola que cruze o seu caminho, acho que teremos um jogador de futebol na família!!! kkkkkkk se assim for, ao menos que seja de um time de peso e que fique na Europa, pois dai me mudarei de 'mala e cuia' para o elho Continente... mas até lá, muitas águas vão rolar
    bjs já desejando uma feliz e abençoada Páscoa!!
    tititi da dri

    ResponderEliminar
  15. Que dica turística legal, amiga!!! Adorei as fotos, o lugar me pareceu muito lindo!!!
    Ah, seu filhote é mto fofo hihi ^^
    Obrigada pela lembrança, adorei <3
    Beijos, Té
    www.bloglola.com.br

    ResponderEliminar
  16. Do jeito que fez a postagem deu vontade de ir conhecer...parabéns sem duvida deve ser um lugar magnifico.

    ResponderEliminar
  17. A Sissi não era nada parva, não, senhora!
    Olha vocês, que lindos e fresquinhos!!! Acho que o Pedrinho gostou mesmo foi do museu CR7. Eu? Gostei muito daquele lanche... Apetece-me zarpar já para a Madeira!
    Beijinhos, boa Páscoa ;)

    ResponderEliminar
  18. Oh... :( A bola estava furada? Como ficou o Pedrinho?
    Seu companheirinho de aventuras está a cada dia mais lindo!
    E as casinhas típicas que parecem feitas para bonecas? Só a descrição já me deixou com desejo de um dia visita-las!

    ResponderEliminar
  19. Que encanto!!
    Fiquei com vontade de conhecer só de ler o relato! Lugar incrível

    ResponderEliminar
  20. Se a Ilha da Madeira não tivesse nenhum atrativo, seu texto me faria ama-la profundamente! Costumo passear por suas palavras vezes sem conta porque a primeira leitura é sempre sôfrega, desejando ver logo o que vem sem seguida. Só então posso ler com calma e absorver os detalhes, as imagens, respirar a atmosfera que nos relata, observar as descobertas e frustrações como a que demonstra ao ver Funchal...

    Ainda me leva a visitar o passado (adoro) e inclui o pequeno de maneira lúdica, sem cansar aqueles que não costumam se interessar pelo universo infantil.

    Foi uma delícia visitar a Madeira através de seu olhar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, os pais vêem os destinos de forma diferente, mas ainda bem que deixei o post cansativo. Grata pelo seu comentário tão amável

      Eliminar
  21. Vou me contentar aqui apenas com fotos e seus relatos rsrs, to longe de poder viajar de novo kkk

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse é um dos encantos da blogosfera, permitem-nos viajar sem sairmos do lugar!!

      Eliminar
  22. Por vários motivos nunca consegui combinar uma visita a Portugal, estendendo-a também a Madeira. Lçendo seu post lembrei desse sonho a ser realizado e vou recolocá-la na minha listinha de viagem!

    ResponderEliminar
  23. Adorei o texto e as ligações com cada um! Amei as fotos e confesso que não conhecia e nem tinha ouvido falar do lugar!

    ResponderEliminar
  24. Para quem gosta de futebol esse lugar deve ser um prato cheio né? Ótimo post.
    Abs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amilton, os miúdos ficam doidos no museu do CR7. Mas é um lugar de muito bom gosto, até eu consegui apreciar. E as bolas de ouro são lindas!

      Eliminar
  25. Lugar lindo e encantador de se visitar!
    Adorei as fotos e como aproveitar a Ilha!
    Ótimo post!

    ResponderEliminar
  26. Haha, linda Madeira! O meu ainda não chegou na fase de respirar futebol, então pude passar ileso de Santiago Bernabeu e Camp Nou em recentes visitas a Madrid e Barcelona! Lindo post!

    ResponderEliminar
  27. Uma ilha com tantos encantos e com tantas personalidades! Desejaria muito visitá-la, espero que um dia isso aconteça! Abraços

    ResponderEliminar
  28. Muito bem escrito, como sempre Ruthia. A gente acaba viajando junto com o seu relato e o lugar parece ser mesmo muito interessante.

    ResponderEliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!