Vinho com chuva

by - 20:07




Quem vem e atravessa o rio, junto à Serra do Pilar, vê um velho casario, que se estende até ao mar (...) Por ruelas e calçadas, da Ribeira até à Foz, por pedras sujas e gastas e lampiões tristes e sós.

As gaivotas, alheias ao céu pardacento e aos chuviscos, mergulham nas águas barrentas do Douro, onde os rabelos baloiçam docemente. A sua alegria barulhenta acrescenta encanto a esta tarde cinzenta, no cais de Vila Nova de Gaia.

Os turistas passeiam tranquilamente pela avenida, ou embrenham-se numa ruela sinuosa e brilhante de chuva, rumo a uma das muitas caves do vinho do Porto. Nós seguimos igualmente por uma ladeira, em busca da Taylor's, chegando ao destino um pouco ofegantes (porque a idade não perdoa e a tagarelice também não).


Tinha previsto uma visita ao Mosteiro do Pilar, mas a conversa estava tão boa...

Esse teu ar grave e sério, num rosto e cantaria, que nos oculta o mistério, dessa luz bela e sombria.

A luz desta tarde é tudo o que o Rui Veloso canta e ficará ainda mais doce depois de um vinho do Porto, branco e seco, que nos servem como aperitivo. Acompanhamos um grupo de franceses pelas caves longas, escuras e húmidas (80% de humidade, cuidadosamente controlada), repletas de pipas de vinho. Ao fundo do corredor, a coroar o caminho, um barril gigante de 20 mil litros, onde muitos gostariam de se afogar.

Apesar de não praticar uma única palavra de francês há mais de uma década, fiquei a saber que uma garrafa de vintage representa a melhor produção dum ano excepcional. E que, à medida que este néctar amadurece, os sabores frutados e intensos dão, gradualmente, lugar a uma suavidade aveludada. Enquanto isso, a cor inicial, vermelha e profunda, vai evoluindo para a "subtil tonalidade âmbar conhecida por tawny".


© taylors.pt
© taylors.pt.  


De regresso ao salão da Taylor's, espera-nos mais vinho do Porto: um cálice de ruby e outro de tawny. Agora já sabemos distingui-los pela cor. Sentamo-nos nuns confortáveis cadeirões de veludo, embrenhadas na conversa que se desprende ainda mais leve depois de esvaziado o primeiro cálice.

Ver-te assim abandonada, nesse timbre pardacento, nesse teu jeito fechado, de quem mói um sentimento...

Quando damos conta, os franceses já se foram embora, o grupo de ingleses está na sua visita e nós? Nós ficamos com o enorme salão de pedra, de outros tempos, com o seu cheiro peculiar (ao tempo, ao vinho, a uma erva misteriosa?) só para nós. Lá fora, continua a cair uma chuva miúda. Através das vidraças, vislumbramos dois pavões numa amena conversa, como a nossa. Só faltava a lareira acesa...


Quero agradecer à Madalena, do blog A Panificadora Ribeiro, pela companhia maravilhosa.
Um brinde, menina!





E a música do Rui Veloso, que nos acompanha hoje? Abaixo.




You May Also Like

18 comentários

  1. Em pleno carnaval, "vir" ao Porto e me deliciar com essas imagens, "sentir" o sabor do vinho e ouvir, de fato, essa linda musica, era tudo que eu queria...: e tive!
    Obrigada, Ruthia!
    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  2. Querida Ruthia
    Senti uma “picadinha” de saudade, daquela saudade que dói e ao mesmo tempo é doce… Não sei se alguma vez sentiste algo semelhante… É difícil pôr em palavras o que se sente perante certas recordações.
    Fiz este percurso que descreves há uns anos, 3 ou 4, AINDA acompanhada…
    “Vi” as caves, “senti” o olfacto e o sabor do Vinho do Porto, fechei os olhos para ouvir o Rui Veloso (qua adoro!) – enfim, foram momentos maravilhosos os que acabei de viver.
    Obrigada por me proporcionares um tão belo início de dia!
    Gostei imenso da tua foto com a Madalena, estão ambas lindíssimas.
    Não me vou embora sem agradecer a tua presença na minha “festa” -:). Obrigada!
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
  3. Em boa companhia, uma chuvinha lá fora e um vinhozinho, nada melhor e o tempo voa sem que se perceba! bjs, chica

    ResponderEliminar
  4. Ruthinha, eu é que agradeço: foi uma delícia e temos de repetir! Ou tratar da ida à Serra do Pilar, de preferência com sol :)
    Beijinhos, bom domingo!

    ResponderEliminar
  5. Ruthia,
    Em tão boa companhia (da Madalena, do Rui e do Carlos Tê), até a chuva, lá fora, convidava à confidência.
    Excelente crónica, bem temperada de Porto!

    Um beijo :)

    ResponderEliminar
  6. O Porto é muito bonito. Há cinco anos que não vou lá e já tenho saudades.
    Do vinho não sei. Sou abstémia.
    Um abraço e bom Carnaval

    ResponderEliminar


  7. Enquanto ouço a bela musica que indicou nesta postagem, vou lendo e sorrindo com este momento bom que voce teve. Vinho do Porto me faz lembrar de meu pai e de suas historias.

    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Oi, Ruthia!
    Que delícia de artigo!
    Vivenciei o passeio e saboreei os vinhos.
    Uma tarde chuvosa acompanhada de um bom vinho do Porto é tudo o que eu queria, ante este verão escaldante, que vivemos hoje aqui no Brasil.
    Adorei a dica!
    Beijos querida Ruthia.

    ResponderEliminar
  9. A letra do Carlos T. e a música do Rui Veloso, assentam que nem uma luva para este teu magnífico post. Um post vintage, diria...
    As caves do vinho do Porto são locais de visita obrigatória. Até porque se aprende alguma coisa acerca do vinho.
    Boa semana, querida amiga Ruthia.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  10. Doce 'viagem' pelos vinhos, e como são bons estes vinhos do Porto!!!
    Quando estive em Portugal não tive a oportunidade de visitar essas caves do vinho, coisa que certamente farei na próxima vez!

    Muito bom passar passar por aqui e lembrar dos cheiros e aromas de Portugal...

    Bia <°))))<
    www.biaviagemambiental.blogspot.com

    ResponderEliminar
  11. querida amiga, que momento lindo foi este.... embalado com linda música, saboreando delicioso vinha e em ótima companhia!!! tudo de bom, ainda mais se comparado ao ritmo barulhento e, porque não, até bizarro do no carnaval... ai que inveja boa senti!!
    bjs com saudades

    ResponderEliminar
  12. Boa tarde, vinho e chuva está em sintonia, maravilhoso passeio pelas caves do vinho do porto, a musica é magnifica.
    AG

    ResponderEliminar
  13. Que maravilha Ruthia, um lindo passeio num lugar mágico e inspirador.
    Que venham as safras dos bons vinhos enquanto a chuva cai no telhado.
    Adorei a musica amiga.
    Um lindo fim de semana com paz e alegria.
    Meu terno abraço.
    Beijo

    ResponderEliminar
  14. Belíssimo embalo numa música que dá o mote ao passeio.

    Bjins

    ResponderEliminar
  15. OI RUTHIA!
    MÚSICA LINDA.
    UMA TARDE CHUVOSA, UM BOM VINHO E UMA COMPANHIA AGRADÁVEL É TUDO DE BOM.
    ABRÇS




    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  16. A gente liga o som e vai lendo... e visualizando tudo, e bebendo o vinho e conversando, tudo em sotaque português, com um pequeno ruído em francês...
    Belíssimo, Ruthia.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  17. Vim à procura de mais.
    Mas eu espero...
    Tem uma boa semana, querida amiga Ruthia.
    Beijo.

    ResponderEliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!