O coração velho da Coruña

by - 13:59



Adentramos na zona histórica da Corunha, que o turismo local descreve como "um romântico remanso de tranquilidade dentro da moderna e agitada urbe" e que pulsa forte na Praça María Pita. Estranho seria se o edifício do Ayuntamiento não estivesse numa praça monumental de traçado geométrico, como em todas as outras cidades espanholas dignas desse nome.

A heroína María Pita vela, em bronze, sobre a multidão de turistas e habitantes. O monumento tem a seus pés uma chama que simboliza a liberdade, aludindo ao seu papel durante o cerco inglês do século XVI.

Reza a história que os ingleses tomaram de assalto a cidade velha em 1589, liderados por Sir Francis Drake. Quando a muralha cedeu e tudo parecia perdido, a valente senhora matou o alferes que carregava a bandeira inimiga, gritando em galego "quen teña honra, que me siga". O episódio terminou com a retirada da tropa invasora e a ascensão da María Pita ao panteão dos heróis, onde mora também a nossa portuguesíssima padeira de Aljubarrota.

A galega não ficou esquecida nas brumas da memória como prova a praça, o monumento, assim como a casa museu e mesmo o Airbus A340 da Iberia que carregam o seu nome. O episódio é lembrado num outro recanto da cidade - o Adro do Silêncio, que antecede o Convento de S. Domingos.






Este é o adro dos silencios. O adro máis alto da cidade alta.

Escoitade o vento rifando nas árbores e o lento camiñar das procesións. Sentide a teoloxía dominicana e os rezos e os votos à Virxe do Rosario. Apreixade a arte barroca, monumental e altiva, e a auga silente deste adral.

Ouvide o paso marcial de cando Drake queimara o vello granito. Abrazade o voo das aves que bos axexan.

Entre as Bárbaras e San Carlos tedes labrada aos vosos pés a cidade abeirada polo mar que debala ao voso carón e a memoria de nós que está nos vellos farois e nas cunchas do chan. E na luz que aquí é morna e amiga. O voso tempo é agora o voso espazo, esta praciña anegada de paz da que sodes señores e habitantes únicos.

Cando vos sentedes aquí, aloumiñados pola luz gráxil e o vento queixoso da cidade, aniñará en vós a dozura solemne da xente que pasea e a historia sempre louca que paira en cada recuncho.




Escusado será dizer que repousamos longamente nesta pequena praça, embalados pelo som de uma fonte que serviu para enganar o estio. Como resistir à doçura destas palavras, como que sussurradas, propositadamente para nós?

Dali descemos novamente até à orla marítima [porque o mar nunca está muito longe], com as suas belas galerias galegas: as varandas em vidro e madeira, para proteger as casas tanto do sol como do vento invernoso, começaram por ser usadas pelos pescadores, mas popularizaram-se de tal forma que hoje as temos como uma encantadora marca arquitetónica da Galiza. Felizmente há tradições que resistem à voracidade dos tempos modernos!
E é isto. Antes de nos aventurarmos na Costa da Morte, fica prometido um último episódio sobre esta Corunha deliciosa. Sem tanta tardança como os últimos posts!



::::
Rota da cidade velha aqui



You May Also Like

21 comentários

  1. Belo texto, belas fotos. Já estou à espera do próximo post.

    ResponderEliminar
  2. Oi Ruthia, que bom mais esta partilha sobre Coruña com toda suas historia e belas informações curiosas de homenagens.A Arquitetura é muito linda e preservada encanta ainda mais.
    Grato amiga e tenham uma bela semana.
    Abraços com carinho.
    Bjs de paz.

    ResponderEliminar
  3. Boa noite, Ruthia, agradeço pela partilha de suas descobertas, sempre acrescidas de detalhes ricos da história local.
    Amo viajar com você, tenha uma excelente semana!
    Abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderEliminar
  4. É muito bom sentir a vossa presença e carinho constantes.
    Beijinho e uma linda semana

    ResponderEliminar
  5. Lindo aprende4 e conhecer contigo! Beleza de lugar e fotos! bjs, chica e desejo uma ótima semana!

    ResponderEliminar
  6. maravilhoso como sempre é te ler... tuas palavras transmitem a doçura que existe no teu coração... palavras que encantam aqueles que têm o privilégio de poder lê-las
    beijos querida amiga!

    ResponderEliminar
  7. Respostas
    1. Fico feliz por despertar a sua curiosidade Sissym. Apenas um pormenor. A Corunha fica na Galiza, em Espanha.
      Beijinho

      Eliminar
  8. Cada texto que vc escreve é um lugar que fico encantada. Leio com seu sotaque, delicioso, português. Tenho a impressão que noutras épocas já andei por esses casarões, castelos, ruinas, faróis... gente, eu tenho arrepios cada vez que vejo a imagem de um faról e as ondas batendo forte nele. Será? Os castelos também, pura magia!
    Querida, uma linda semana pra vc e pra Pedrinho, esse menino lindo abençoado! Beijo!

    ResponderEliminar
  9. Adorei!! O texto está muito bom, muito conciso e bonito. quanto ás fotos estão magnificas!!
    Segui, beijinhos :D


    Salty Sugar- saltysugar16.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Cátia. Muito obrigada pela visita, que retribuirei logo que possível, e pelo comentário.
      Fico feliz por ter apreciado o post.
      Abraço

      Eliminar
  10. Bom dia, Ruthia

    Estive aqui há dois dias, li este seu belo post mas na hora de comentar o écran do meu computador resolveu ficar todo preto.

    Como sempre, um excelente texto em que nos transmite as suas experiências de viagens e que nos faz tomar parte nelas. Tenho um especial carinho pela Galiza e ao ler as suas impressões sobre Corunha, senti-me no meu elemento.

    Obrigada, Ruthia.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  11. As fotos são tão giras que só dá vontade de visitar.

    Passa pelo meu blog e deixa as tuas perguntas: http://abpmartinsdreamwithme.blogspot.pt/2016/09/q-3-facam-as-vossas-perguntas.html

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Beatriz. Grata pela sua visita, fico feliz por ter gostado das fotos. Se ler o post vai ficar com (ainda) mais vontade de visitar a Corunha.
      Abraço

      Eliminar
  12. Magnifica esta reportagemcom belas fotografias.
    Muito obrigado pela visita ao meu blogue, apareça sempre.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.
    Andarilhar

    ResponderEliminar
  13. Querida Ruthia
    Tencionava retornar só em finais de Setembro mas a minha filhota requisitou a minha presença mais cedo... e aí vim eu a correr :)))
    E já que cá estou aproveito para visitar, aos poucos, as amigas.

    Gostei imenso desta postagem especialmente porque, conhecendo razoavelmente bem Espanha, a Galiza é a região que conheço pior, ou antes, conheço apenas de passagem. Esta é a forma de conhecê-la um pouco mais.
    E adorei a história, que desconhecia de todo, de Maria Pita, que faz lembrar muito a nossa "Padeira de Aljubarrota".
    Obrigada pela partilha, que adorei!

    Bom Fim-de-semana
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os filhos chamam e nós corremos. É mesmo assim! Grata pela visita e boa reentré.
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Ruthia, quão encantadora é esta Corunha que vc nos traz em poéticas descrições banhadas pelo heroísmo das mulheres sempre audazes em todos as épocas da história do mundo.
      Fotos lindas e convidativas.Adorei!

      Belo domingo pra vcs e igualmente bela semana.
      Bjo,
      Calu

      Eliminar
    3. Uma mulher audaz abrilhanta sempre uma estória, querida Calu. Uma boa semana para vc também

      Eliminar
  14. Boa tarde, região turista com cerca de 550 hotéis da Corunha é maravilhosa, vale a pena visitar e lá voltar, a selecção de fotos é excelente.
    Resto de boa semana,
    AG

    ResponderEliminar
  15. Boa tarde, pelo que partilha foi uma boa e alegre visita à Corunha com os filhos.
    Resto de boa semana,
    AG

    ResponderEliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!