Aveleda: história e vinho verde




Grandes portões e muros de pedra altíssimos escondem uma das mais belas quintas vinhateiras portuguesas. Em plena Rota do Românico, a quinta de "Velledas" é uma epifania de história, botânica e vinho

Há mais de 300 anos que gerações da família Guedes produzem frescos vinhos verdes, incluindo o mundialmente famoso Casal Garcia, para além de queijos, compotas e a aguardente Adega Velha, na penumbra de uma adega centenária, onde teias de aranha cobrem pipas cheias de líquido cor de âmbar.

A quinta carrega o nome das profetisas "Velledas" que, na tradição germano-celta, previam o futuro e por isso eram sacrificadas aos deuses... será que morou por aqui uma dessas sibilas? Mas o charme desta quinta minhota, perdida em Penafiel, vai muito além de lendas medievais.

Os românticos jardins da Aveleda recebem-nos com uma explosão primaveril. A luxuriante vegetação - que motivou o prémio Best of Wine Tourism na categoria de «Arquitectura, Parques e Jardins em 2011 (aqui) - é pontuada por espécies raras, sequóias americanas, castanheiros-da-índia, cedros japoneses, ciprestes dos pântanos e também um monumental eucalyptus globulus com mais de 200 anos.





Junto à antiga entrada, uma peculiar Casa do porteiro parece directamente teletransportada de uma fábula de La Fontaine. É uma das várias follies, devaneios arquitectónicos sem função específica, espalhadas pela propriedade.

Estes delírios sucedem-se a uma velocidade estonteante: eis uma torre de três andares para as alegres cabras anãs, logo depois uma janela manuelina do século XVI, onde D. João IV terá sido aclamado rei, posteriormente oferecida a um elemento do clã Guedes que a plantou aqui no Minho. Adiante, no meio do lago onde um cisne exaltado protege a sua fêmea, eis uma Casa de Chá vitoriana, decorada com répteis em faiança portuguesa.

Muitos portugueses ilustres escolheram a quinta para veranear, rendendo-se aos encantos singulares da Aveleda. Por exemplo, o príncipe herdeiro Luís Filipe de Bragança (filho de D. Carlos I) e o seu aio, Mouzinho de Albuquerque, almoçaram numa das mesas do jardim, em Outubro de 1901.

Prosseguimos pelo perfumado caminho das azáleas, passando pela gaiola das rolas do tempo da Condessa de Pangim - filha do vice-rei da Índia e ilustre consorte de um Guedes - até à Fonte de Nossa Senhora da Vandoma, padroeira do Porto.




© aveledaportugal.pt


A casa senhorial, de finais do século XIX e coberta de trepadeiras, surge por entre o burburinho das águas. A culpa é da Fonte das Quatro Estações, onde se gravaram perfis de algumas senhoras da Aveleda no mármore, numa linda homenagem!

Entramos agora no edifício da Adega Velha, que guarda a aguardente homónima, embalada por cantos gregorianos e pela semi-obscuridade. Servirá a melodia para enganar a década que permanecerá nas pipas de carvalho francês? Ali repousa também a venerável garrafa, trazida da Rússia dos czares, que inspirou a bebida espirituosa da Quinta da Aveleda.

Sentamo-nos, por fim, numa bela varanda alcandorada sobre hectares infindáveis de vinha para a provar os vinhos e o queijo. 

A marca possui 205 hectares de vinha, 184 ha na região demarcada de vinhos verdes e 21 na região da Bairrada, de que resulta os seus vinhos centenários reconhecidos internacionalmente, como provam medalhas de ouros conquistadas em Berlim (1888) ou Paris (1889): Aveleda (verde e Douro), Casal Garcia (verde, Douro tinto, sangria e espumante), Charamba Douro, Aveleda Follies e Grande Follies.

Alongamo-nos em brindes, entre brancos e rosés, soltando a conversa até ser hora de voltar para o autocarro, rumo ao Porto e a novas aventuras. 




A visita foi organizada pela Edkon para um grupo de estudantes chineses, estendendo, amavelmente, o convite ao blog, o que  agradecemos. Conheçam esta empresa especializada em serviços educativos, turísticos e de tradução de chinês no site ou no facebook.







Localização: A Quinta da Aveleda fica em Penafiel, a cerca de 38 km do Porto (A4 em direcção a Amarante/Vila Real), 66 km de Braga e 47 km Guimarães (pela A11).

Site: aqui | Preço: 6€ (adulto, com prova de vinho)

Horário das visitas guiadas (com marcação prévia aqui)
Verão: seg-sáb 10h00, 11h30, 15h00, 16h30
Inverno: seg-sáb 10h00, 11h30, 14h30, 16h00

You May Also Like

33 comentários

  1. Muito interessante. Nunca visitei nenhuma desta quintas. Aliás embora já por várias vezes ter estado no Minho, e até já tenha seguido o percurso do rio Douro até à Régua, nunca fui a Penafiel.
    Um abraço e bom domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um passeio belíssimo, Elvira, mesmo para quem não é apreciador de vinho ou, em particular, de vinho verde.
      Bom domingo querida

      Eliminar
  2. Belíssimo lugar é um passeio maravilhoso na certa! Bjs praianos,chica

    ResponderEliminar
  3. Ruthia, um passeio que eu adoraria fazer. Eu e o marido, gostamos de conhecer vinícolas. É o que mais fazemos em nossas viagens.
    A sua postagem é uma poesia, eu fiquei encantada. Completa e muito bem explicada. Pensamos em conhecer Portugal, e esta quinta não ficará de fora. Agradeço pela generosidade em compartilhar conosco estas belezas.
    Respondendo a sua pergunta, a pequena Mariana é minha netinha, ela tem 3 anos. Tenho um único filho, já casado.
    Um beijo carinhoso querida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu só tinha visitado uma quinta da região do Douro, realmente não é uma prioridade para mim, mas gostei muito da filosofia da Aveleda. Quando passar pelo Norte de Portugal, avise-me e tomaremos um café.
      P.S. Linda a sua pequena Mariana

      Eliminar
    2. Com prazer amiguita! Adoro café com boa conversa e amizade! Combinado!
      Ainda não temos uma data programada, mas na mente a viagem já está acontecendo.
      Hoje tem festa lá no meu blog, um prazer ter você por lá.
      Um beijinho Ruthia.

      Eliminar
  4. baratíssimo o preço de 6 Euros... aqui certamente pagaríamos cerca de 10, com prova de vinho.. realmente barato por ser este lugar um pedaço perdido de algum conto de fadas, lindo demais... amei! bjs amiga querida.. aqui o inverno não quer dar as caras.. seguimos em clima de outono nos questionando será que o frio ainda vem? bjs com saudades

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com saudades do frio, Dri? Por aqui o Verão também esteve muito instável, depois de temperaturas abrasadoras e incêndios devastadores (as notícias chegaram a esse lado do Atlântico?) arrefeceu muito... agora parece finalmente Verão mas será que dura?
      Beijinho

      Eliminar
  5. A cada nova visita você nos brinda com histórias encantadas. Aveleda me parece um universo particular, cheio de belezas e mistérios e, ainda reserva como bônus, a origem do maravilhoso "Casal Garcia". Apaixonante!
    Bjo, Ruthia.
    Calu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No Brasil, a marca é muito conhecida, não é?
      Grata pela sua presença sempre tão amável.
      Beijinho

      Eliminar
  6. Lugar lindo e romantico mesmo! Nunca havia ouvido falar e agora já está na listinha de lugares!

    ResponderEliminar
  7. Que lindo relato de um belo lugar... Viajei contigo ao ler o artigo. Parabéns!

    ResponderEliminar
  8. Que interessante! E que lugar maravilhoso. Eu nunca fui muito fã de vinho, mas provei o famoso vinho verde quando estive em Portugal e adorei!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá diz o ditado, nem sempre nem nunca. A vantagem da Quinta é ter tantos pontos de interesse, para além do vinho. Os jardins são lindos, tem a arquitectura das folies e a história da própria quinta!
      Abraço

      Eliminar
  9. Gostei muito do texto e das fotos :) Parabéns! Nunca visitei... mas ficou a firme vontade de o fazer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Rui até tem andado a explorar o Norte. Vi umas fotos que partilhou de Baião fantásticas...

      Eliminar
  10. Belíssimo passeio! Ainda não conheci Portugal, mas está na minha lista... Quando for pretendo fazer passeios diferentes e com certeza vou incluir essa sua dica. Já até salvei nos favoritos. Obrigada! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico feliz Nikki, eu também gosto de lugares menos turísticos.

      Eliminar
  11. Ainda não conheço Portugal, mas já fiquei louca para visitar essas quintas vinhateiras e o famoso vinho do Porto! Para essa ter motivado esse prémio de "Best of Wine Tourism" ela deve ser realmente fantástica! Anotei no caderninho! rss! Valeu a dica! =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O prémio é de reconhecimento internacional, pelo que esta quinta ter sido distinguida diz muito acerca do lugar. E foi bem merecido!

      Eliminar
    2. Ah, quase me esquecia, a região do vinho do Porto não fica por aqui. Mas, não muito longe, encontra as caves do vinho do Porto, em Gaia. Se precisar de alguma dica quando estiver a preparar a viagem, avise.

      Eliminar
  12. Quanto charme nesse cantinho! Pra mim os melhores passeios envolvem lindas paisagens e um bom vinho, entao esse foi feito especialmente para mim! Coloquei na lista de desejos para realizar quando for a Portugal!

    ResponderEliminar
  13. Ah... que maneira mais deliciosa de começar a minha manhã de sábado: com um texto lindo a me levar por lugares mágicos, encantados... Com um bom vinho, então?! Nada mais posso desejar! :) bjuuusss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O lugar também me proporcionou duplamente felicidade, quando o visitei e quando escrevi sobre ele :)

      Eliminar
  14. Já entrou para os lugares que não posso te deixar de visitar em Portugal, duas coisas que amo vinhos e lindos jardins, um charme de lugar.

    ResponderEliminar
  15. Que interessante, Ruthia... Eu não experimentei muito vinho verde, sempre fui nos mais comuns tintos e brancos, mas agora fiquei com vontade. Não vou deixar passar... rs

    Edson

    ResponderEliminar
  16. Encontro este post sobre o local encantador que é a Quinta da Aveleda,
    passei por lá há uns 3 ou 4 anos (o tempo corre ) e foi muito bom ! uma experiencia muito agradável, a visita às instalações do engarrafamento, os passeios pelos jardins, as provas dos vinhos, tudo delicioso !!!
    recomendo !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para mim, os jardins é que fazem a diferença nesta visita. Transportam uma mera degustação de vinho para outra dimensão.

      Eliminar
  17. Hola amigo te recuerdo mi blog de poesias si deseas volver a visitarlo
    Gracias

    http://anna-historias.blogspot.com.tr/

    sera un placer volver a tener tus comentarios

    Besos

    ResponderEliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!